Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Em entrevista à revista MP Especial, publicada pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul no mês de outubro, a procuradoria-geral de Justiça do DF e presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG), Eunice Carvalhido, anuncia que trabalhará pela promoção do diálogo e da integração dos Ministérios Públicos e que manterá o foco na busca de respostas demandadas pela sociedade. Ela destaca ainda a importância de fortalecer ações de combate ao crime organizado e à corrupção, dentre outras voltadas à educação, segurança, saúde, transporte.

Eunice Carvalhido também falou sobre a atuação do Grupo de Acompanhamento Legislativo, principalmente durante a votação da PEC 37, e do surgimento das Resoluções no. 469 e 404, destacando, neste caso, o empenho da Comissão de Acompanhamento de Processos junto aos Tribunais Superiores.

Sobre os grupos de trabalho que integram o CNPG, a presidente acredita que é preciso estimular a elaboração de projetos que tenham relevância nacional e levá-los ao conhecimento dos membros do Ministério Público brasileiro, mas também às autoridades governamentais que sejam capazes de contribuir. “É preciso trabalhar no sentido de que a expressão política de governo seja compreendida como política de Estado (nos casos de educação, saúde, segurança, proteção e defesa de hipossuficientes, por exemplo), pois assim, o Ministério Público poderá contribuir decisivamente para o atendimento de tais anseios da sociedade”, disse.

ANPT destaca atuação junto ao Congresso

O informativo da Associação Nacional de Procuradores do Trabalho – ANPT também divulgou entrevista com Eunice Carvalhido na edição de agosto. A publicação destacou a posse da nova presidente e a necessidade de união entre o Ministério Público brasileiro.

Ao responder as perguntas, a presidente do CNPG falou da necessidade de aproximação com o parlamento, dentre outros temas. “A falta de representantes do MP no Parlamento tem trazido grandes dificuldades para estabelecer o diálogo institucional”, ressaltou

.: voltar :.