Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Após requerimento do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), a ex-delegada de polícia Martha Geny Vargas Borraz foi presa no último sábado, 20 de outubro, em cumprimento ao mandado de prisão expedido pela Vara de Execuções Penais do Distrito Federal. Martha foi condenada pelos crimes de tortura, falsidade ideológica e violação de sigilo funcional, em julgamento realizado em 5 de abril de 2018. A pena foi fixada em 16 anos e 12 dias de reclusão.

Martha Vargas foi a delegada responsável pelo início das investigações do triplo homicídio ocorrido na quadra 113 da Asa Sul, em 2009. Na ocasião, foram vitimados o casal José Guilherme Villela e Maria Carvalho Mendes Villela e sua empregada doméstica, Francisca Nascimento Silva.

Após suspeitas em torno do direcionamento das apurações, foram iniciadas investigações próprias pelo MPDFT, com a instauração do competente procedimento de investigação criminal. Segundo a denúncia do Núcleo de Investigação e Controle Externo da Atividade Policial (Ncap), a ex-delegada praticou uma série de crimes para acusar três pessoas inocentes como sendo os autores do triplo homicídio. Além de agir em parceria com uma pessoa que se autodeclarava vidente, Martha torturou os três inocentes e “plantou” provas na residência de um deles.

Leia mais

Crime da 113 Sul: réu é condenado a 62 anos de prisão

MPDFT consegue condenação de policiais civis por crimes cometidos durante investigação do Caso Villela

Caso Villela: MPDFT denuncia mais 11 policiais

Assessoria Especial de Imprensa
(61) 3343-9045 / 3343-6101/ 3343-9046/ 99149-8588
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial

 

.: voltar :.