Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

projeto tribunal do júri: uma lição de vidaTeve início, na última terça-feira, dia 27, na Promotoria de Justiça de Taguatinga, a implantação do projeto “Tribunal do Júri: Uma Lição de Vida”. Numa parceria entre o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) e a Secretaria de Educação, a ação contou com a presença de cinco professoras e 92 alunos do Centro de Ensino Fundamental nº 16, de Taguatinga. O julgamento, acompanhado de perto pelos estudantes do 9º ano, foi o de Cleber Flávio Vieira, conhecido como Morfeu, condenado a 11 anos e 8 meses de reclusão, em regime inicial fechado, por homicídio privilegiado e qualificado de Luiz Antônio da Silva.

O projeto não é novidade no MPDFT. Desde 2011 ele foi institucionalizado pela Administração Superior, a partir de uma iniciativa da promotora de Justiça de Planaltina Vivian Barbosa Caldas. A PJ de Taguatinga decidiu implantar a ideia tendo em vista o sucesso da ação naquela promotoria, onde houve uma aproximação da Instituição com os jovens.

“Foi uma experiência fantástica e de muita validade, na qual os estudantes se mostraram muito interessados. Espero que esse projeto possa refletir na vida adulta desses jovens, que puderam presenciar que toda conduta tem uma resposta”, disse o promotor de Justiça Bernardo de Urbano Resende, coordenador administrativo da PJ de Taguatinga. Ele também elogiou o trabalho das professoras, especialmente de Vera Lúcia Honório que há muito tempo acompanha o trabalho do Ministério Público e que, neste momento, deu oportunidade aos alunos de conhecerem de perto a função do juiz, do promotor de justiça, do advogado e dos jurados no plenário do júri.

Entenda o caso

De acordo com a denúncia do MPDFT, no dia 12 de novembro de 2012, Luiz Antonio da Silva estava sentado próximo ao Hospital São Vicente de Paula, em Taguatinga, quando Cléber Flávio Vieira, conhecido como Morfeu, se aproximou, de dentro de seu carro, e efetuou vários disparos contra a vítima, causando-lhe a morte. O homicídio teria sido motivado por um desentendimento ocorrido dias antes entre os dois, após Luiz ter matado o pitbull de Morfeu a facadas, enquanto tentava defender a sua cachorra. 

Processo nº 2012.07.1.037914-3


.: voltar :.