Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Exposição "O grito silencioso da mata". Foto: divulgaçãoO Dia Internacional do Meio Ambiente será comemorado no MPDFT, de 6 a 10 de junho, com a exposição "O Grito Silencioso da Mata", idealizada pelo artista plástico e escritor Luiz Otávio, que em 1995 começou a esculpir em madeiras extraídas da mata Atlântica. Com restos de queimadas e derrubadas, o escultor reciclou o material e criou o conjunto de obras que compõem a exposição. Os trabalhos ficarão expostos no hall de entrada do edifício-sede do MPDFT durante todo o dia.

Exposição "O grito silencioso da mata". Foto: divulgaçãoO artista espera que, ao contemplar a exposição, o visitante desperte sua sensibilidade e sua consciência para as relações do indivíduo com o meio ambiente. De forma interdisciplinar, o evento pretende levar cultura e arte a todos, de maneira lúdica e simples. "As pessoas saem da exposição sabendo que os seres humanos não são vítimas, nem senhores da natureza, mas guardiões de algo que não deve ser explorado irracionalmente, nem permanecer totalmente intocado", afirma Luiz. Esculturas, fotografias, sons da natureza e banners com poesias compõem a mostra.

O artista

Exposição "O grito silencioso da mata". Foto: divulgaçãoLuiz Otávio, nasceu no Rio de Janeiro, mas viveu sua infância e adolescência em Taguatinga. Sendo filho de pioneiros e, por tendência do mercado de trabalho, cursou Escola Técnica de Edificações da Construção Civil, mas seu destino já estava relacionado com a arte, o que ficou claro com sua participação nos festivais de música nos anos 80, com direito a premiação. Após ir para São Paulo em 1992 e trabalhar em áreas administrativas, uma patologia o afastou das atividades profissionais e o levou ao encontro de seu verdadeiro destino: servir por meio da arte.

.: voltar :.