Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

O Tribunal do Júri de Taguatinga condenou, na última quinta-feira, 26, o pedreiro José Silva Santos, de 41 anos, por tentativa de homicídio triplamente qualificado contra a companheira Carmem Daniela Magalhães Chaves, de 28 anos. A pena foi de oito anos e oito meses de reclusão, mas o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) já recorreu para aumentar a pena, devido à extrema gravidade do caso, apesar de a vítima ter reatado o relacionamento com o réu e pedido que ele fosse absolvido e libertado para que voltasse a residir com ela e os filhos.

O crime ocorreu na madrugada do dia 8 de novembro de 2010, na casa da vítima, em Taguatinga Norte. Carmem Magalhães estava deitada com os três filhos do casal, menores de idade, quando o acusado, que havia ingerido bebida alcoólica, a surpreendeu com mais de 20 facadas. As crianças presenciaram a agressão. A vítima gritou por socorro enquanto tentava se defender. Alertados pelos gritos, familiares que moravam no mesmo lote conseguiram entrar na casa e conter o acusado até a chegada da Polícia Militar. A vítima foi levada ao hospital, onde recebeu atendimento médico.

Acusado e vítima moravam juntos há cerca de 14 anos, tendo o relacionamento iniciado quando Carmem tinha apenas 13 anos. Algum tempo antes do crime a relação tornou-se conflituosa, o que levou a vítima a pedir a separação. O acusado não aceitou o rompimento e começou a ficar agressivo, suspeitando, inclusive, de que a companheira mantinha contato com outros homens pela internet.

O crime foi praticado por motivo fútil, visto que o acusado tentou matar sua companheira apenas por insatisfação com o comportamento dela e por não aceitar a separação. O delito foi praticado mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, pois o acusado dissimulou seu intento homicida e a abordou no momento em que ela se deitou para dormir, em companhia dos filhos. Além disso, foi empregado meio cruel, uma vez queo acusado revelou brutalidade fora do comum, atingindo a vítima com múltiplos golpes de faca em diversas partes do corpo, provocando sofrimento intenso e desnecessário.

.: voltar :.