Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Eleição Conselho TutelarMais de 155 mil eleitores compareceram aos locais de votação para escolher os conselheiros tutelares do DF que vão atuar de 2020 a 2023

As eleições para o Conselho Tutelar do DF, ocorridas no último domingo, 6 de outubro, contaram com a efetiva participação do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), que fiscalizou os locais de votação e de apuração com 34 equipes itinerantes. Promotores de Justiça e servidores também estavam de plantão na Promotoria de Justiça de Defesa da Infância e da Juventude, na Procuradoria Distrital dos Direitos do Cidadão, na Ouvidoria e no Gabinete de Crise, montado pela Secretaria de Justiça com representantes de vários órgãos. Doze Promotorias de Justiça ficaram abertas para servir de apoio.

Para o promotor de Justiça Gustavo Ramos, o sucesso da eleição é fruto do trabalho sistematizado e em equipe realizado por diversos setores do MPDFT desde o início deste ano. O assessor de Políticas Institucionais, Georges Seigneur, destaca o papel fundamental do Ministério Público na fiscalização das eleições para o Conselho Tutelar. “Tivemos o envolvimento de diversos membros e servidores, a maioria voluntários, para permitir que a vontade da população seja fielmente respeitada em questão tão sensível como é a proteção à infância e aos adolescentes”, completou

Este ano, 155 mil eleitores participaram do pleito, contra 132 mil em 2015, um aumento de 19%. Foram 149 locais de votação e 31 de apuração, um aumento expressivo se comparado com a eleição anterior, que contou com 47 locais de votação e apenas 1 de apuração. A eleição deste ano teve o apoio da Justiça Eleitoral. Toda a votação foi realizada PDDC 1 600 x 511com urnas eletrônicas. Às 21h, foi divulgado o resultado provisório. Confira aqui os conselheiros eleitos.

“A eleição transcorreu dentro da normalidade, com mínimas intercorrências. Acompanhei a votação e a apuração nas escolas do Gama, Núcleo Bandeirante e Asa Sul. Nas áreas em que estive, a principal questão foi de eleitores que foram ao local de votação errado”, destacou o procurador distrital dos Direitos do Cidadão, Eduardo Sabo.

A Ouvidoria do Ministério Público recebeu apenas três manifestações via formulário eletrônico. Se você viu alguma irregularidade no processo de escolha dos conselheiros tutelares, pode acionar a instituição. Veja aqui como denunciar.

Secretaria de Comunicação
(61) 3343-9604 / 3343-9601 / 3343-6413 / 99303-6173
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial

.: voltar :.