Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Servidor envolvido no esquema foi preso preventivamente

WhatsApp Image 2019 09 23 at 08.19.07 1O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (Gaeco/MPDFT) deflagrou, nesta segunda-feira, 23 de setembro, a terceira fase da Operação Trânsito Livre. A ação contou com o apoio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar do DF e prendeu preventivamente servidor envolvido em esquema de corrupção que envolveria, mediante cobrança de propina, a retirada de multas e a devolução de carteiras de habilitação (CNH) apreendidas. Foram cumpridos também dois mandados de busca e apreensão: um no 3º distrito rodoviário do Departamento de Estradas e Rodagens (DER/DF) e outro na residência do preso.

Para o Ministério Público, a participação do agente consistia em fornecer a primeira via dos autos de infração para que os demais integrantes do grupo criminoso abordassem os infratores e solicitassem o pagamento de propina para que a infração não fosse inserida no sistema e a CNH apreendida fosse devolvida. Além disso, ele acessava os sistemas informatizados do DER e fornecia os números telefônicos para viabilizar o contato com os condutores autuados. O envolvimento do agente foi desvendado após o Ministério Público analisar os materiais apreendidos nas fases anteriores da investigação.

A primeira fase da operação foi deflagrada no dia 28 de agosto. Na ocasião, foram cumpridos mandados de prisãoWhatsApp Image 2019 09 23 at 08.19.06 preventiva contra três investigados, um deles servidor do DER/DF. Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão na sede do DER e nas residências dos investigados. Na segunda fase da Operação, deflagrada em 31 de agosto, foi cumprido mandado de busca e apreensão na residência de uma condutora que teria pago propina para retirada de multa e devolução de carteira de motorista apreendida. Durante as buscas, foram apreendidos um celular, uma via do auto de infração e outra do extrato do etilômetro, com a informação da recusa em se submeter ao teste do bafômetro. 

O Ministério Público já ofereceu denúncia contra nove pessoas, quatro foram denunciados por organização criminosa e corrupção passiva e cinco por corrupção ativa. As investigações continuam em relação a outros funcionários públicos e condutores.

 

 

Assessoria Especial de Imprensa
(61) 3343-9045 / 3343-6101/ 3343-9046/ 99149-8588
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial
 

.: voltar :.