Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Relatório será divulgado nesta quarta-feira, dia 8, no auditório da Polícia Civil-DF

As Promotorias de Justiça de Delitos de Trânsito do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e a Fundação de Peritos em Criminalística Ilaraine Acácio Arce (FPCIAA) apresentam, nesta quarta-feira, dia 8, as conclusões da pesquisa Análise da Criminologia Ambiental dos Sinistros de Trânsito com Vítima Fatal no Distrito Federal. O evento será no auditório da Direção-Geral da Polícia Civil do DF, das 9h às 10h30.

O estudo é resultado do termo de cooperação assinado, em 2013, entre o MPDFT e a Fundação de Peritos para traçar um raio-x dos sinistros de trânsito no DF. Inédito, o relatório mostra como o ambiente pode favorecer as ocorrências de colisões e atropelamentos fatais e aponta soluções viáveis para dar mais segurança para motoristas e pedestres.

De acordo com a promotora de Justiça Laura Rito, a pesquisa é uma ferramenta que possibilita ao Ministério Público compreender os fatores associados à mortalidade no trânsito do DF e recomendar aos órgãos públicos responsáveis as mudanças necessárias para solucionar os problemas. "O estudo aponta ao mesmo tempo causas e soluções. Assim, temos mais clareza do que pode ser feito para reduzir os acidentes de trânsito no DF", explica.

Já para o promotor de Justiça Rodrigo de Magalhães Rosa, o aspecto mais importante da pesquisa é compilar dados que possibilitam uma atuação mais assertiva e amparada por uma análise técnica "O Estado detém a informação de forma esparsa e a proposta desse estudo foi reunir dados para propor soluções", reitera.

A partir dos dados do Detran, a pesquisa reuniu 391 ocorrências com vítimas fatais em um estudo de criminologia ambiental que mostra como o ambiente pode influenciar na ocorrência de crimes. Também identifica o perfil dos envolvidos - tanto o condutor em caso de acidentes quanto as vítimas de atropelamento.

Manobras irregulares, imprudência ao dirigir, desatenção ao volante e o consumo de drogas lícitas ou ilícitas, tanto por parte do condutor quanto do pedestre, fazem parte da lista de motivos que levam a sinistros fatais nas vias do DF. Além disso, foram identificados os ambientes que aumentam as chances de colisões.

Atropelamentos - Os casos de atropelamento nas rodovias chamaram a atenção dos pesquisadores, que constataram a ocorrência de um padrão na localização desses eventos. Foi identificado o perfil dos condutores, dos pedestres, dos horários, dos ambientes, entre outros fatores, o que permitiu apontar propostas que podem reduzir esses acidentes no DF. Ao todo, 11 ambientes foram analisados e receberam sugestões de correção.

A apresentação do estudo será aberta ao público. São aguardadas autoridades do Detran, dos batalhões de trânsito e do Instituto de Criminalística.

.: voltar :.