Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

DrRobertoCarlosPRODEMAcomadministradorVarjaoO titular da 1° Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (Prodema), Roberto Carlos Batista, esteve, na última quinta-feira (21), na Administração Regional do Varjão para avaliar os problemas nas áreas ambiental e cultural da cidade. A visita faz parte de um trabalho iniciado em 2011 e já passou pelas Administrações Regionais de Brasília, do Sudoeste, do Cruzeiro, do Guará e do Riacho Fundo I e II.

O administrador do Varjão, Hélio das Chagas, e o chefe de gabinete da Administração Regional da cidade, Valdinei Coimbra, apontaram como principais preocupações a ocupação desordenada em áreas com restrições ambientais, o depósito irregular de resíduos sólidos em áreas ambientalmente sensíveis e a poluição sonora. Eles também mencionaram a inexistência de biblioteca pública para atender à comunidade. Por outro lado, revelaram que a atividade cultural no Varjão é bastante intensa, com teatro, escola de samba e outros eventos.

Para o promotor de Justiça, as administrações se sentem mais à vontade para apresentar os problemas ambientais e culturais ao Ministério Público. “No Riacho Fundo I tivemos a participação da comunidade, que discutiu a criação de usinas de reciclagem na cidade. No Guará os moradores debateram os problemas do Parque Ezechias Heringer. Uma audiência pública organizada pelo MPDFT resultou em um grupo de trabalho, nomeado pelo governador, para a regularização fundiária do local. Já a Administração do Cruzeiro estava preocupada com uma casa abandonada que acumulava sujeira e água parada. Uma operação para acabar com esses focos de propagação de doenças foi realizada”, explicou.

Batista sugeriu que os responsáveis pela Região Administrativa do Varjão realizassem um levantamento das áreas ocupadas e suas proximidades, bem como de todas as áreas com restrições ambientais. A intenção é verificar eventuais irregularidades, impactos ambientais e tomada de decisões. Ele ressaltou, também, a importância de se planejar com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) um programa de educação ambiental para garantir melhor qualidade de vida à população.

 

.: voltar :.