Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Ivaldo Lemos Junior
Promotor de Justiça

Se existe algo sumamente valioso é a própria experiência de vida. Ela sofistica conhecimentos consolidados e os projeta na administração de situações futuras. É mais fácil lidar com algo que se conhece do que com uma novidade completa: isso é a bagagem da experiência agindo no indivíduo, a ponto de as coisas ficarem banais e até automatizadas.

A experiência requinta a própria experiência, ou seja, transforma preconceitos em conceitos, moldando aquilo que se intui com a demão dos ajustes concretamente necessários. No meio jurídico é muito utilizada, nessas horas, a locução latina “quod plerumque accidit”, que significa “o que costuma acontecer”. O acervo da ciência se aplica no tempo presente à luz de detalhes que reclamam alguma dose de adaptação, em uma espécie de segunda potência da sabedoria.

Todavia, a vivência tem um lado insidioso, que é o de lhe atribuir uma relevância exagerada ou irreal. Que o que o passado já provou, nem sempre de maneira indolor, funcionará como acicate suficiente para o que ainda vem por aí. A pessoa fica usando respostas velhas para perguntas novas.

Talvez problemas novos consigam ser respondidas, mutadis mutandis, com soluções antigas. Talvez não. E aí o processo constante de aprendizagem pede um esforço mais aprofundado de reciclagem. Ou então a pessoa se aboleta no anteontem e passa a picar os outros com o discurso amofinado do “no meu tempo”, que serve como analgésico para se livrar de um problema com dignidade, mas sem resolvê-lo.

Uma instituição qualquer, pública ou privada, somente encontrará um ponto de equilíbrio razoável, bom ou ótimo – nunca perfeito – em seu ingrediente humano na conjugação daquilo que as fases da vida têm de bom a oferecer. Moços trazem energia e velhos contribuem com moderação. Uma instituição demasiado juvenil é tão perversa quanto outra madura demais.

Jornal de Brasília - 23/9/2020

Todos os textos disponibilizados neste espaço são autorais e foram publicados em jornais e revistas. Eles são a livre manifestação de pensamento de seus autores e não refletem, necessariamente, o posicionamento da instituição.

.: voltar :.