Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Medidas estão sendo propostas pelo Ministério Público, após decreto do GDF que liberou a realização de competições esportivas com público

nota reuniao arena 600 x 463O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) participou de reunião na tarde desta sexta-feira, 16 de julho, para debater as medidas adequadas de segurança sanitária para a realização de jogos com a presença de torcedores no DF, após decreto do governo local que autoriza competições esportivas com público. Estavam presentes representantes da Secretaria de Segurança Pública, da Arena BSB e do Clube de Regatas Flamengo, além de outros órgãos envolvidos na realização e fiscalização das partidas: Corpo de Bombeiros, DF Legal, Vigilância Sanitária e Batalhão de Trânsito. 

Durante o encontro, foram discutidos pontos apresentados pela força-tarefa de combate à Covid-19 do MPDFT  em recomendação expedida ao presidente da Concessionária Arena BSB, Richard Duboi. O Ministério Público defende que o controle de acesso seja rigoroso na verificação dos documentos exigidos, especialmente do cartão de vacinação, comprovando a efetiva imunização através das duas doses ou dose única, bem como a apresentação de teste com resultado negativo para a Covid-19.

Para o coordenador da força-tarefa, procurador de Justiça José Eduardo Sabo, além das medidas de organização, controle e fiscalização que estão sendo cobradas de todos os órgãos e agremiações envolvidas, é preciso que a população também se conscientize das medidas de higienização, distanciamento, de testes e controle sanitário necessários para minimizar os riscos de contaminação pelo novo coronavírus.

Recomendação

De acordo com o documento expedido pela força-tarefa, nesta sexta-feira, 16 de julho, os torcedores deverão ser orientados desde sua chegada, a fim de evitar aglomerações, com demarcação e organização de filas e outras medidas que impeçam a circulação desnecessária de pessoas.

Outras iniciativas indicadas pelo Ministério Público são: a separação do público entre os anéis superiores e inferiores do Estádio, com instalação de gradis de proteção que garantem distanciamento mínimo de 1,5 metro; impedimento de pessoas sem máscaras de proteção facial em quaisquer dependências do estádio; reforço das medidas de limpeza e higienização de superfícies; aumento no quantitativo de brigadistas e funcionários de segurança privada. 

Todos os presentes deverão ter sua temperatura corporal aferida, sendo que aqueles que apresentarem estado febril deverão ser impedidos de entrar.

Propostas

Durante a reunião, o coordenador da força-tarefa e o promotor de Justiça Bruno Vergini defenderam uma liberação menor, de apenas 10% da capacidade dos estádios, diferente dos 25% de ocupação previstos pelo decreto do GDF. Além disso, o Ministério Público também fez a proposta de uma investigação epidemiológica após as partidas, já iniciando a experiência com o jogo marcado para o dia 21 de julho, entre Flamengo e Defensa y Justicia. 

A força-tarefa vai remeter, ainda, uma recomendação à Secretaria de Saúde com orientações para que seja realizado esse levantamento e cruzamento de dados de caráter epidemiológico

“É preciso avaliar quais foram os efeitos epidemiológicos da partida e desse montante de pessoas, a partir do cruzamento dos dados de torcedores e staff, já que a doença é de notificação compulsória pelos laboratórios públicos e privados”, explica Sabo. 

Clique aqui para ler a recomendação da força-tarefa.

Secretaria de Comunicação
(61) 3343-9604 / 3343-9601 / 3343-6413 / 99303-6173
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial

.: voltar :.