Imprimir

Rapaz foi atraído para o local do crime com proposta de encontro amoroso

A Promotoria de Justiça do Tribunal Júri do Paranoá obteve a condenação de Elton Henrique Souza Freitas pelo homicídio de Lucas Matheus Machado da Silva. A pena foi fixada em 17 anos de prisão, em regime fechado, pelos crimes de assassinato e corrupção de menor. O julgamento foi realizado nesta terça-feira, 22 de junho.

Lucas tinha 20 anos e era portador de deficiência mental leve. O conselho de sentença aceitou as duas qualificadoras propostas pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT): motivo torpe e dissimulação para atrair a vítima.

Entenda o caso

O crime ocorreu em 7 de maio de 2019, no Paranoá. Lucas foi atraído com a promessa de que teria um encontro amoroso com uma adolescente. A jovem, Elton e Roberto Conceição Nascimento mataram a vítima a facadas. Roberto já havia sido condenado em julgamento realizado no último dia 11 de maio.  A pena foi de 15 anos de prisão, em regime fechado, por homicídio duplamente qualificado e corrupção de menor.

Segundo o promotor de Justiça Antonio Suxberger, que realizou a acusação no plenário, “a comunidade do Paranoá deixou claro que não admite ações violentas e desproporcionais como a que vitimou o jovem Lucas, claramente portador de enfermidade mental e, por isso, carente de necessidades especiais”.

Embora o crime tenha sido praticado em maio de 2019, Elton ficou foragido até outubro daquele ano, quando foi preso preventivamente. Para o promotor de Justiça Daniel Bernoulli, que denunciou os acusados e acompanhou o processo até o plenário, “mais um caso bárbaro a que o júri, em boa hora, dá resposta justa e adequada”.

Processo:  0002026-14.2019.8.07.0008

Secretaria de Comunicação
(61) 3343-9604 / 3343-9601 / 3343-6413 / 99303-6173
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial