Imprimir

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagraram, nesta sexta-feira, 5 de julho, a operação In corruptionem (Contra a Corrupção em latim). A ação visa desmantelar um esquema criminoso de cobrança de vantagem indevida pela servidora da Secretaria da Saúde Ruby Lopes. Ela é investigada por cobrar valores indevidos de pacientes para agilizar cirurgias no Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

A 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus) e a Divisão de Repressão ao Crime Organizado (Draco/Cecor) cumprem mandados de busca e apreensão na casa e no local de trabalho da servidora de Ruby Lopes. O MPDFT recebeu denúncia anônima sobre os fatos. Ela é investigada por corrupção passiva.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo juiz da 2ª Vara Criminal de Taguatinga, Wagno Antônio de Souza. Ele também determinou a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão: pagamento de fiança no valor de R$ 9.980, proibição de manter contato por qualquer meio de comunicação e de se aproximar das vítimas e das testemunhas já ouvidas e das que vierem a prestar depoimento até o limite de 200 metros e proibição de frequentar as unidades de saúde do Distrito Federal, salvo se para atendimento médico. Ruby foi advertida de que o descumprimento dessas medidas poderá ensejar-lhe a decretação da prisão preventiva.

Mais informações sobre o caso serão apresentadas na entrevista coletiva nesta sexta, 5 de julho, às 10h, na Cecor, no Complexo da Polícia Civil.

Entrevista coletiva
Data: 5 de julho
Horário: 10h
Local: DPE - Complexo da Polícia Civil Secretaria de Comunicação
(61) 3343-9604 / 3343-9601 / 3343-6413 / 99303-6173
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial