Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

As penas somam mais de 200 anos de reclusão

O Tribunal do Júri de Brasília condenou, nesta terça-feira, 15 de dezembro, os quatro acusados pela morte dos irmãos Kelvin de Jesus e Rodrigo de Jesus Santana, à época com 18 e 23 anos, respectivamente, bem como pela tentativa de homicídio contra um terceiro irmão, Maycon Pablo de Jesus Guimarães. O crime aconteceu em 23 de janeiro de 2014, no Cruzeiro Velho. A acusada Patrícia dos Santos Araújo, que era ex-companheira de uma das vítimas, recebeu a pena mais alta, de 69 anos e 4 meses de reclusão por dois homicídios duplamente qualificados e tentativa de homicídio. Kaio Francisco Martins de Meneses foi condenado a 55 anos e 10 meses e Daniel de Sousa Martins, à pena de 53 anos, ambos por porte ilegal de arma, dois homicídios duplamente qualificados e uma tentativa. O quarto envolvido, Maicon Alves de Menezes, recebeu 24 anos e 4 meses de reclusão por dois homicídios duplamente qualificados e foi absolvido da tentativa.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) sustentou a existência de duas qualificadoras, que foram consideradas pelos jurados para a condenação: motivo torpe e emprego de recurso que dificultou a defesa das vítimas. A primeira, caracterizada pelo intuito do grupo em tirar proveito econômico com a morte de Kelvin de Jesus. Além disso, há provas de que a acusada Patrícia nutria ciúme pelo ex-namorado Kelvin e que o motivo dos assassinatos também seria uma rixa entre as vítimas e os autores do crime. A outra qualificadora apontada pelo MPDFT refere-se à forma como o crime aconteceu, por meio de um ataque surpresa, meticulosamente planejado. As vítimas foram assassinadas em casa, enquanto assistiam a um filme. O julgamento, que começou em 14 de dezembro, durou cerca de 24 horas, com o encerramento da sessão plenária às 8h45 de 15 de dezembro

Entenda o caso – Em 23 de janeiro de 2014, entre as 21h30 e as 21h45, no Cruzeiro Velho, os denunciados, se deslocaram da cidade de Formosa (GO) para a residência das vítimas. Eles atuaram com divisão de tarefas. Os denunciados Claudinei e Daniel efetuaram os disparos, enquanto o denunciado Kaio conduziu o grupo ao local, prestou auxílio para a fuga e forneceu uma das armas de fogo. A denunciada Patrícia ajudou a localizar as vítimas ao indicar a residência delas. Já o denunciado Maicon avisou sobre o momento oportuno para iniciar a execução dos crimes. Os últimos três vigiaram a movimentação da rua, enquanto os outros dois atiravam. As vítimas Kelvin e Maycon Pablo estavam em casa, sentados no sofá, enquanto um terceiro irmão, Rodrigo, estava próximo da porta. Somente Maycon Pablo sobreviveu.

Segundo testemunhas, vítimas e agressores faziam parte de grupos rivais em Formosa. Patrícia, que era ex-companheira de Kelvin, à época do crime namorava um dos presos e, de acordo com as investigações, ela lucraria com a morte do ex, com quem ela tem um filho, porque, da sua perspectiva, teria direito a uma casa em Formosa, bem como à pensão e ao seguro da vida de Kelvin. O denunciando Claudinei Ferreira de Ataídes ainda não foi julgado, pois está foragido até o momento.

Processo nº 2014.01.1.027560-9 Secretaria de Comunicação
(61) 3343-9604 / 3343-9601 / 3343-6413 / 99303-6173
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial

.: voltar :.