Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

foto materia 14A campanha O que Você Tem a Ver com a Corrupção? visitou, na última semana, três escolas públicas para conversar com estudantes sobre o tema. Os encontros fizeram parte da programação da Semana de Educação para a Vida, prevista no calendário da Secretaria de Educação.

Na sexta-feira, dia 15, foi a vez dos alunos de 8 a 10 anos da Escola Classe Incra 7, em Brazlândia. Para tratar o assunto de uma forma lúdica, o promotor de Justiça Paulo Quintela, coordenador no Distrito Federal da campanha, apresentou vídeos com exemplos de diversos acontecimentos no cotidiano durante o bate-papo com os alunos. Para a supervisora pedagógica Graça Gazzaniga, foi um momento rico de aprendizagem, participação e informação. “O promotor trouxe uma abordagem fácil para falar com as crianças, o que enriqueceu o conhecimento delas. Acredito que estamos contribuindo para a formação de cidadãos mais conscientes”, destacou.

No dia 14, quinta-feira, outro grupo de estudantes de Brazlândia recebeu a campanha. Cerca de 600 estudantes, do 9º do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, do Centro Educacional Incra 8, participaram da palestra. Quintela falou sobre corrupção de forma interativa e explicou a importância da honestidade e da transparência nos pequenos atos rotineiros. “Furar fila, colar na prova, falsificar assinaturas dos pais ou carteirinhas também são formas de corrupção, que evoluem para problemas maiores”, esclareceu.

Thiago de Freitas, do 2º ano, afirmou que a palestra foi bastante dinâmica. “O promotor deu exemplos legais de casos de corrupção no nosso dia a dia”. “Não sabia que colar na prova era um ato de corrupção”, acrescentou Amanda Marques, do 3º ano.

foto materia 12São Sebastião - No dia 12 de maio, terça-feira, os alunos do Centro de Ensino Fundamental Cerâmica São Paulo, em São Sebastião, participaram da palestra sobre corrupção. O objetivo foi promover uma reflexão sobre comportamentos antiéticos disseminados no cotidiano.

O promotor de Justiça Paulo Quintela apresentou a estudantes do 6° ao 9° ano vídeos, incluindo casos do futebol e do automobilismo, para dar exemplos bons e ruins. “O fato de a corrupção ser um problema cultural dificulta a conscientização, mas temos de continuar trabalhando para que isso mude”, relatou Quintela.

Segundo a professora e coordenadora da escola, Taynã Oliveira, a aproximação entre o poder público e a escola é muito importante. “O mais válido foi o contato dos alunos e professores com essa realidade que muitas vezes nos parece distante. Mostrou que nos pequenos atos cotidianos podemos mudar a sociedade”, acredita. Secretaria de Comunicação
(61) 3343-9604 / 3343-9601 / 3343-6413 / 99303-6173
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial

 

.: voltar :.