Pesquisa do Instituto Avon mostra que 41% dos brasileiros conhecem homens que praticaram violência contra a mulher

Fale sem medoO promotor de Justiça Thiago Pierobom, coordenador dos Núcleos de Direitos Humanos do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), participou, no último dia 29/11, em São Paulo, do Fórum Fale sem Medo – Não à Violência Doméstica, promovido pelo Instituto Avon. O evento faz parte da programação da campanha "16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher". 

O evento marcou o lançamento da pesquisa “Instituto Avon/Data Popular – Percepção dos Homens sobre a Violência Doméstica contra a Mulher”, realizada em âmbito nacional entre agosto e setembro de 2013. Ao todo, foram entrevistados 995 homens e 505 mulheres, de 16 anos ou mais, em 50 municípios das cinco regiões brasileiras. Houve também a participação de 13 especialistas no tema e 6 homens autores de violência contra a mulher.

Estudo sobre violência doméstica

De acordo com a pesquisa, 41% dos brasileiros conhecem um homem que já foi violento com a parceira. Perguntados diretamente se já tiveram esse tipo de atitude, apenas 16% dos homens assumem ter sido violentos com a atual ou ex-companheira. No entanto, quando as atitudes que configuram violência doméstica são listadas, 56% dos homens admitem ter cometido violência, o que demonstra que determinados comportamentos ainda não são vistos como Fale sem medoviolentos. O estudo também revelou que quase metade dos homens entrevistados acha que a mulher é responsável pelos cuidados com a casa, dado que reflete a cultura patriarcal e machista da sociedade brasileira.

A pesquisa apontou, ainda, que 68% dos homens entrevistados afirmam que aceitariam participar de um programa de reflexão sobre violência doméstica. “É essencial que o Estado também se preocupe com a intervenção com os homens autores de violência doméstica, como forma de prevenção da reiteração da violência. Os homens não nasceram machistas, se tornaram machistas; e se eles aprenderam a serem machistas, podem receber uma intervenção para refletir e mudar sua visão sobre o que significa ser verdadeiramente um homem", ressaltou o promotor de Justiça Thiago Pierobom.

Também participaram do evento a ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República; Leila Linhares Barsted, coordenadora executiva da Cepia – Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação; a juíza Maria Domitila Prado Manssur, da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário do Estado de São Paulo.

Clique aqui para acessar a pesquisa na íntegra.