Aniversário do CássioHá 14 anos a PJIJ ajuda o ex-morador de rua a ter um futuro melhor

No calendário da Promotoria de Justiça de Defesa da Infância e da Juventude (PJIJ), uma comemoração não pode faltar: o aniversário do Cassio. Quando deixou a casa dos pais, o garoto tinha apenas seis anos de idade e foi morar na Rodoviária do Plano Piloto. Foram 19 anos nas ruas de Brasília. Para sobreviver, conseguia dinheiro como vigia de carros no estacionamento do shopping Conjunto Nacional. Apesar da vida difícil, nunca cometeu um ato infracional. Em 1999, o destino do garoto mudou ao procurar a Promotoria de Justiça. Desde então, todos os anos, a unidade organiza uma festa para Cassio.

Naquela época, ele não possuía nenhum documento que constasse o seu nome ou a data nascimento. No cumprimento de suas atribuições, a equipe da Promotoria de Justiça auxiliou para que um exame de idade óssea fosse feito para desvendar sua idade. O exame revelou o seu nascimento no fim de 1980.

Após esse procedimento, mais uma passo: a Carteira de Identidade e o Título Eleitoral. Cassio teve a oportunidade de escolher seu nome, sobrenome e a data em que queria comemorar seu nascimento. Tornou-se Cassio dos Santos e o dia escolhido para seu aniversário foi 18 de dezembro. Ele também foi contemplado com o benefício continuado do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e o passe livre para o transporte público, pois ele possui uma deficiência mental leve.

Naquele mesmo ano, o menino fez um pedido aos integrantes da PJIJ. Queria ter, pela primeira vez, uma festa de aniversário. Há 14 anos, os integrantes da Promotoria de Justiça comemoram o aniversário do menino, que hoje já é um homem. A assessora da unidade, Consuelo Vidal, acompanhou o caso de perto. "Foi uma grande alegria ter participado da mudança de vida do Cassio. Em razão desse acolhimento, ele se tornou um cidadão", comemora.

Festa de aniversário

Este ano, a festa de aniversário do Cassio foi realizada na última sexta-feira, dia 29/11. Entre um pedaço de bolo e outro, ele também falou sobre a gratidão que sente pelos integrantes da PJIJ. "Todo ano eles fazem uma festa, sou muito agradecido por tudo que fizeram e fazem por mim até hoje", falou emocionado.

A servidora Evelin Corrêa conta que Cassio é muito simpático e querido por todos. "Ele sempre chega com um sorriso no rosto e cumprimenta a todos. A festa de aniversário dele já uma tradição aqui, ficamos muito felizes em poder nos reunir e festejar todos os anos", comenta.

Vida nova

Festa do CássioHoje com 33 anos, Cassio trabalha como lavador de ônibus e mora em uma quitinete alugada em Sobradinho. Quando questionado sobre sua família, ele responde: "Não sei deles há muito tempo". Ele contou que também não tem mais contato com ninguém que conheceu nos anos que morou na Rodoviária. Ele se alegra pelos amigos que tem. "O meu trabalho é muito legal, fiz muitos amigos por lá", conta. É importante esclarecer que na época que Cassio chegou à PJIJ não havia Conselhos Tutelares. Hoje, crianças e adolescentes que se encontram na mesma situação e precisam de apoio, devem procurar os Conselheiros Tutelares das cidades.