Imprimir

Estão abertas, até 11 de junho, as inscrições do I Prêmio CNPG de Jornalismo. A premiação contemplará matérias sobre o Ministério Público brasileiro. Para isso, basta entrar no Portal do CNPG (www.cnpg.org.br). O Prêmio terá quatro categorias: Jornalismo Impresso (Revista), Jornalismo Impresso (Jornal), Televisão e Rádio. O vencedor de cada categoria receberá R$ 10 mil. Poderão concorrer ao Prêmio somente matérias publicadas ou veiculadas de 7 de abril de 2011 a 7 de maio de 2012. O resultado será divulgado em solenidade no dia 17 de agosto.

O I Prêmio CNPG de Jornalismo contemplará matérias jornalísticas com impacto social da atuação do MP nas seguintes áreas: Meio Ambiente e Patrimônio Cultural; Infância e Juventude; Patrimônio Público; Consumidor; Combate a Organizações Criminosas; Educação; Direitos do Cidadão; Direitos Humanos; Criminal; Cível; Eleitoral; Controle Externo da Atividade Policial; Saúde; Portador de Necessidades Especiais; Idosos; Tráfico de Seres Humanos e Violência Doméstica; Trabalho Escravo; Trabalho Infantil; e Índios e Minorias.

"Recente pesquisa da Fundação Getulio Vagas mostrou o Ministério Público como a terceira Instituição de maior credibilidade para a sociedade. O Prêmio CNPG, com certeza, dará uma visibilidade ainda maior ao MP", afirmou a Procuradora-Geral de Justiça em exercício, Zenaide Souto Martins.

O que é o CNPG?

O Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG) é uma associação nacional, sem fins lucrativos, da qual fazem parte os Procuradores-Gerais de Justiça dos Ministérios Públicos dos Estados e da União. Foi criado em 9 de outubro de 1981.

Funcionando na forma de um Colegiado, o Conselho foi criado com o objetivo de defender os princípios, prerrogativas e funções institucionais do Ministério Público. É sua função integrar os Ministérios Públicos de todos os Estados brasileiros; promover intercâmbio de experiências funcionais e administrativas; e trabalhar pelo aperfeiçoamento da instituição, traçando políticas e planos de atuação uniformes ou integrados que respeitem as peculiaridades regionais. O Conselho avalia, periodicamente, a atuação do Ministério Público.