galeria17.jpgAs Promotoras de Justiça de Samambaia Hiza Lima e Raquel Lopes se reuniram, na tarde da última quinta-feira, 24, com diretores e coordenadores pedagógicos das escolas públicas da cidade para discutir a situação dos Conselhos de Segurança Escolar, fazer um balanço das ações de 2011 e planejar as metas para o próximo ano.

"A realidade da segurança nas escolas de Samambaia é extremamente pesada, cruel, dura. Temos problemas de toda ordem, como desrespeito à individualidade, à integridade física e ao patrimônio público. Os Conselhos de Segurança Escolar são berços para o desenvolvimento e o exercício da cidadania", disse a promotora de Justiça Hiza Lima.

O representante da Diretoria Regional de Ensino (DRE), Humberto Valério dos Santos, apresentou um levantamento sobre os Conselhos implantados nacapa3.jpg cidade e sugeriu fevereiro de 2012 como termo inicial para a ações tendentes à implantação dos Conselhos nos colégios ainda não integrados ao projeto. Samambaia possui 39 escolas públicas, mas apenas dez têm Conselhos de Segurança atuantes.

No encontro, o diretor do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 507 de Samambaia, Élisson Pereira dos Santos, apresentou, como exemplo, os resultados positivos obtidos com a implementação e atuação do Conselho Local de Segurança Escolar. As representantes da Direção Regional de Ensino de Samambaia, Vanilda Lopes (Coordenação de Cidadania ecapa5.jpg Direitos Humanos) e Adriana Pandleton (Núcleo Pedagógico), buscaram motivar os participantes para os novos projetos a serem desenvolvidos relacionados à cultura da paz.

Concurso Cultural

Para demonstrar a necessidade de reflexão e a viabilidade dos objetivos pretendidos, foram exibidos o curta-metragem "Vida Maria", de Márcio Ramos, e o vídeo produzido pela Secretaria de Comunicação Social sobre o 1º Concurso Cultural dos Conselhos de Segurança Escolar de Samambaia: "Segurança nas Escolas, a paz que se constrói", realizado em 2009.

O concurso teve como objetivo promover a cidadania e a cultura da paz nas instituições educacionais públicas de Samambaia, fazendo com que os alunos desenvolvessem, por meio da arte, propostas de ações e soluções para os problemas relacionados à violência. "Para além do concurso cultural, pretende-se fazer ações mais pontuais. Queremos uma capa2.jpgagenda ativa do Conselho de Segurança, com o efetivo envolvimento da Promotoria de Justiça de Samambaia" finalizou a Promotora Hiza Lima.