Promotores de Justiça Andréa Chaves, Luciana Medeiros e Renato Varalda (Foto: Gilney Maia)Os promotores de Justiça Renato Varalda, da Infância e Juventude, e Luciana Medeiros, da Ordem Urbanística - mas com longa passagem pela Promotoria da Infância - visitaram, na manhã desta quarta-feira, 26, o Centro de Ensino Fundamental 1 do Gama. No encontro com os alunos foram discutidos temas como medidas protetivas e socioeducativas, cidadania e direitos difusos, temas previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente. Os promotores foram participar do projeto "MPDFT na Escola".

Desde setembro a instituição de ensino participa do programa , desenvolvido em parceria com a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Vida e Juventude. O objetivo principal do projeto é aproximar o Ministério Público da comunidade escolar, mostrando aos jovens os prejuízos que o caminho da criminalidade e das drogas pode trazer. Semanalmente, até dezembro, um novo tema será abordado com os estudantes.  

Projeto MPDFT na Escola (Foto: Gilney Maia)O "MPDFT na Escola" é mais um esforço do Ministério Público para orientar os alunos nas áreas de mediação de conflitos, educação para sexualidade e prevenção ao uso de drogas e armas. Nas palestras iniciais, o projeto contou com a participação do promotor de Justiça Antônio Suxberger,  da Promotora de Defesa da Educação, Marcia Pereira da Rocha e de sua equipe, do presidente da Oscip Vida e Juventude, José Ivaldo e do Conselheiro Tutelar da Estrutural, Markão Aborígene, como é conhecido. 

O promotor de Justiça Suxberger explicou aos jovens a função e a missão institucional do MPDFT. Também houve apresentações de atores e músicos, para que os jovens se identificassem e se interessassem pelos temas abordados. "Queremos que os jovens conheçam o trabalho e se aproximem do MPDFT, por isso nos deslocamos até a escola e tratamos de assuntos de grande interesse da sociedade. Os jovens precisam entender a importância de discutir esses assuntos", destacou Suxberger. A Promotora da Educação, Marcia Pereira da Rocha, conversou com os alunos  sobre os trabalhos desenvolvidos pelo MP na área da Educação.

Estudantes interagem com os promotores (Foto: Gilney Maia)O presidente da Oscip Vida e Juventude falou sobre mediação de conflitos nas escolas, enquanto o conselheiro Markão Aborígene discutiu com os adolescentes o problema das drogas e suas consequências. 

Além dos cinco encontros realizados, outros quatro serão feitos com os estudantes do 7° ao 9º ano do ensino fundamental. Temas como sexualidade e afetividade, Lei Maria da Penha e o abuso sexual de crianças e adolescentes ainda serão abordados. 

E não só os alunos, como também professores e servidores da escola serão beneficiados com esses encontros. "Apresentar o MP à comunidade escolar é importante para que eles saibam quem somos e o que fazemos e se sintam amparados por uma Instituição que luta pelos direitos da sociedade", destacou a promotora de Justiça Andréa Chaves, idealizadora do projeto que está em processo de institucionalização. 

Alunos da Escola do Gama atentos à palestra (Foto: Gilney Maia)No MPDFT, a Assessoria de Políticas Institucionais apoia o projeto. "Além de nossas tarefas diárias é preciso que levemos aos jovens as noções de direitos e deveres de cada indivíduo", afirmou a promotora de Justiça Ana Luiza Lobo Leão Osório ao lembrar que uma das funções do Ministério Público é levar cidadania à sociedade.