Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Caixa de Pandora: novas perícias comprovam integridade da gravação de Águas Claras

Laudos foram emitidos pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal e comprovam integridade do áudio

Nesta segunda-feira, 13 de agosto, foram juntados aos processos criminais da Operação Caixa de Pandora os Laudos nº 1286/2018 e 1394/2018, elaborados pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal. Os documentos são referentes ao áudio em que o então governador do Distrito Federal José Roberto Arruda trata sobre o pagamento de propina a deputados distritais em troca de apoio político durante o seu governo.

Os peritos oficiais concluíram, na linha do que sempre foi afirmado pelo Ministério Público: o colaborador Durval Barbosa Rodrigues utilizou equipamentos da Polícia Federal para a gravação; não houve desligamento dos equipamentos durante a ação controlada; e não há edições no diálogo captado na escuta ambiental.

Diante do resultado da perícia complementar, fica afastada a tese sustentada pelas defesas dos réus de que o colaborador Durval Barbosa, em desconformidade com decisão judicial, teria utilizado equipamento de gravação próprio e editado o teor das gravações.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) entende que as conclusões desses novos laudos encerram as discussões sobre a integridade da prova e abrem caminho para que as ações penais da Operação Caixa de Pandora, que aguardavam a juntada desses documentos, possam ser julgadas.

Secretaria de Comunicação
(61) 3343-9604 / 3343-9601 / 3343-6413 / 99303-6173
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial

.: voltar :.