Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

MPDFT

Menu
<

Tamanho da fonte:

Mulher que matou bebê é condenada a 22 anos de reclusão

Estudantes de Taguatinga tiveram a oportunidade de assistir ao julgamento como parte de projeto educativo que visa conscientizar sobre as consequências de atos criminosos

O Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) conseguiu a condenação de Ana Paula Barros Veloso a 22 anos e 8 meses de reclusão pelo assassinato da bebê Alice Vitória Soares, de dez meses. Os jurados acataram as qualificadoras apresentadas pela Promotoria do Tribunal do Júri de Taguatinga: motivo fútil, meio cruel e dificuldade de defesa, além do crime ter sido cometido contra menor de 14 anos. O regime para o cumprimento da pena será o fechado e a ré não poderá recorrer da sentença em liberdade.

Relembre o caso

Entre os dias 24 e 26 de dezembro de 2015, em Taguatinga Norte, Ana Paula agrediu com chutes, socos e arremessos ao chão Alice Vitória, de dez meses, que estava sob seus cuidados desde o nascimento. Conforme a denúncia, no dia 24, por volta das 16h, a ré estava com Alice Vitória no colo e, aborrecida com o choro da criança, arremessou-a ao chão, lesionando-a na testa. Mais tarde, no mesmo dia, após dar banho na criança, a denunciada desferiu um soco em sua barriga e novamente arremessou-a ao chão para, em seguida, desferir-lhe um chute.

No dia 26, no período da tarde, a ré voltou a agredir a vítima com um soco na barriga porque teria vomitado o conteúdo da mamadeira. Pouco depois, em razão de a criança estar "fazendo birra", Ana Paula desferiu um chute na menina que começou a tremer, a vomitar e a ficar roxa. O Samu foi acionado para prestar socorro mas, ao chegar à residência, Alice Vitória já havia morrido.

Processo: 2016.07.1.000467-4

Tribunal do Júri: uma lição de vida

Cerca de 80 alunos do Centro de Ensino Fundamental nº 3 de Taguatinga assistiram ao julgamento como parte do projeto “Tribunal do Júri: uma lição de vida”, uma parceria do MPDFT com o Tribunal de Justiça (TJDFT) e a Secretaria de Educação. O objetivo é conscientizar os estudantes sobre as consequências de atos criminosos e colaborar com a redução da violência nas escolas. O promotor de Justiça Bernardo Resende, que participou do júri, explica que no plenário os adolescentes e jovens veem a consequência real das más escolhas.

Na próxima quinta-feira, 17 de maio, às 9h, será a vez dos alunos do Centro de Ensino Médio de Taguatinga. Eles vão assistir ao júri de Alisson Estevan da Conceição acusado de matar a facadas Cícero Welder Timóteo da Silva. Ambos eram moradores de rua. O crime ocorreu em 2010, na CSB 7 de Taguatinga.

Processo: 20100710289173

Secretaria de Comunicação
(61) 3343-9604 / 3343-9601 / 3343-6413 / 99303-6173
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
facebook.com/mpdftoficial
twitter.com/mpdft
youtube.com/mpdftoficial
instagram.com/mpdftoficial

.: voltar :.